“E impelido pela minha ávida vontade, imaginando poder contemplar a grande abundância de formas várias e estranhas criadas pela artificiosa natureza, enredado pelos sombrios rochedos cheguei à entrada de uma grande caverna, diante da qual permaneci tão estupefato quanto ignorante dessas coisas. Com as costas curvadas em arco, a mão cansada e firme sobre o joelho, procurei, com a mão direita, fazer sombra aos olhos comprimidos, curvando-me cá e lá, para ver se conseguia discernir alguma coisa lá dentro, o que me era impedido pela grande escuridão ali reinante. Assim permanecendo, subitamente brotaram em mim duas coisas: medo e desejo; medo da ameaçadora e escura caverna, desejo de poder contemplar lá dentro algo que fosse miraculoso"

Leonardo Da Vinci

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Ele se foi



"Não houve uma despedida digna. Ele simplesmente partiu sem avisar. E eu fiquei imobilizado. Sem reação clara, por alguns minutos, tentando acreditar que aquela evidência fosse apenas alguma confusão de minha vista ou de minha memória. Mas não era um equívoco. Era real. Ele se foi de verdade. Sumiu..."



Continue lendo em http://elesefoi.wordpress.com/

Nenhum comentário: