“E impelido pela minha ávida vontade, imaginando poder contemplar a grande abundância de formas várias e estranhas criadas pela artificiosa natureza, enredado pelos sombrios rochedos cheguei à entrada de uma grande caverna, diante da qual permaneci tão estupefato quanto ignorante dessas coisas. Com as costas curvadas em arco, a mão cansada e firme sobre o joelho, procurei, com a mão direita, fazer sombra aos olhos comprimidos, curvando-me cá e lá, para ver se conseguia discernir alguma coisa lá dentro, o que me era impedido pela grande escuridão ali reinante. Assim permanecendo, subitamente brotaram em mim duas coisas: medo e desejo; medo da ameaçadora e escura caverna, desejo de poder contemplar lá dentro algo que fosse miraculoso"

Leonardo Da Vinci

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Sardegna: grutas de Su Palu e Su Manau

"Su" em dialeto sardo corresponde ao artigo "O". "Palu" corresponde a uma espécie de árvore - grande e forte - típica da região. Uma das principais teorias é de que o nome Gruta de Su Palu faça referência a esta árvore. O carste é lindo. Largas encostas formam grandes paredões repletos de entradas, nem todas completamente exploradas. A Gruta de Su Palu é uma das mais importantes da Sardegna e encontra-se em um belíssimo carste na região leste da ilha, Supramonte, próximo à cidade de Dorgali. Com um sistema explorado de mais de 40km, teve suas explorações várias vezes interrompidas por sifões ou encontro das galerias com o mar - azul turquesa - do mediterrâneo. A principal entrada se dá através de um buraco estreito e uma sequência de descidas em fendas verticais. Após o aperto segue-se em amplos condutos de blocos abatidos, por um rio. Minutos depois encontra-se um pseudo-sifão. Uma única passagem, bastante apertada, entre blocos e a gelada água subterrânea. Alguns espeleólogos tiram a roupa e se aventuram nus para não molharem seus costumes. Melhor passar frio extremo por alguns segundos do que ficar o dia inteiro molhado. Passado o sifão encontra-se uma sequência de belos e amplos condutos. Mais a frente, uma cachoeira de cerca de 15m verticais dá acesso à um grande lago, um salão fóssil e outras áreas, bastante ornamentadas.

Já em outra região carstica, localizada a Sudoeste da Sardegna encontra-se a Gruta de Su Manau. Trata-se de uma caverna completa: grandes condutos, salões, rios em diferentes níveis, lagos e muitas formações. A gruta dispõe de uma grande área bem preparada para o turismo, com passarelas, escadas e iluminação e vários “percursos espeleológicos”, com inúmeras passagens em corda e vias ferratas (escadinhas de aço). Durante a visita, nos acompanhou um espeleólogo chamado Ubaldo, que há décadas cuida da caverna e de suas explorações. Fizemos um percurso de cerca de 6 horas, de fácil dificuldade, mas que exige equipamentos verticais e conhecimento de técnicas. Além das belezas morfológicas a caverna também abriga uma boa riqueza arqueológica. Seu nome resgata uma lenda local e rituais antigos de referência a água - abundante na caverna, mas escassa na superfície. A caverna foi também abrigo de pastores. Em seus condutos e salões fósseis, foram encontrados inúmeros utensílios antigos. Segundo história local, Manau era o nome de uma criatura (humanoide) que por sua feiura foi trancado dentro da caverna. Chorando continuamente de tristeza, suas lágrimas originaram o rio subterrâneo que ainda hoje banha as profundezas da caverna. A criatura (Manau), perdido dentro da caverna, continua sempre alimentando-a com suas lágrimas. As pessoas, por mais pena que sintam da criatura, ainda coletam a água subterrânea e assim desejam que a criatura não encontre uma saída ou pare de sofrer...

Pseudo-sifão na Gruta de Su Palu

Gruta de Su Palu

Gruta de Su Palu

Gruta de Su Palu

Gruta de Su Palu

Gruta de Su Palu

Gruta de Su Palu

Gruta de Su Palu

Gruta de Su Palu

Equipe da visita à caverna de Su Palu

Encostas de calcário, repletas de entradas

Equipe da visita à caverna de Su Manau

Carste da região de Dorgali


domingo, 11 de agosto de 2013

Vista às cavernas de São Desidério - BA durante o 32º Congresso Brasileiro de Espeleologia

Em julho de 2013 estive em Barreiras, município do oeste baiano, para participar do 32º Congresso Brasileiro de Espeleologia. Realizado no Instituto de Ciências Ambientais da Universidade Federal da Bahia, foi um dos mais desorganizados e chatos congressos já realizados. Os próximos organizadores precisam repensar o formato e recuperar a graça que havia nos encontros de espeleologia.Transformar o CBE em um evento científico de terceira linha direcionado, em sua maior parte, à trabalhos incompletos, irrelevantes e "comentários iniciais preliminares inconclusos" sobre qualquer coisa só para o autor ter uma linha no Lattes é uma péssima estratégia. Mas isto fica para outro artigo. 

Barreiras é uma cidade em pleno crescimento econômico movido pelo poder do agronegócio, evidente nas dezenas de novas construções, na expansão urbana desordenada e nos artigos e carros de luxo pelas ruas. Cidade interessante do ponto de vista histórico, com destaque para o aeroporto usado como base pelo exército Norte Americano durante a II Grande Guerra, porém do ponto de vista espeleológico o que nos interessa é a cidade vizinha de São Desidério.

O carste de São Desidério é magnífico, lapiás à perder de vista, cavernas, dolinas e
caatinga misturada à espécies de mata tropical, remanescente de tempos mais úmidos na região.

Rio Grande em Barreiras 
BR135 sobre o carste de São Desidério. As obras da rodovia afetaram cavernas e dolinas, especialmente o Buraco do Inferno da Lagoa do Cemitério, que abriga o maior lago subterrâneo do Brasil. Estão paralisadas mas devem ser retomadas devido à pressão política.

Trilha no Parque Municipal da Lagoa Azul.

Dolina

Lagoa Azul

Gruta do Catão

Detalhe de formações na Gruta do Catão

Trilha para Sumidouro do Jõao Baio

Trilha para Sumidouro do Jõao Baio