“E impelido pela minha ávida vontade, imaginando poder contemplar a grande abundância de formas várias e estranhas criadas pela artificiosa natureza, enredado pelos sombrios rochedos cheguei à entrada de uma grande caverna, diante da qual permaneci tão estupefato quanto ignorante dessas coisas. Com as costas curvadas em arco, a mão cansada e firme sobre o joelho, procurei, com a mão direita, fazer sombra aos olhos comprimidos, curvando-me cá e lá, para ver se conseguia discernir alguma coisa lá dentro, o que me era impedido pela grande escuridão ali reinante. Assim permanecendo, subitamente brotaram em mim duas coisas: medo e desejo; medo da ameaçadora e escura caverna, desejo de poder contemplar lá dentro algo que fosse miraculoso"

Leonardo Da Vinci

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Bulha D'água, PETAR, Agosto de 2015

No final de semana de 15 e 16 de Agosto estivemos novamente na região de Bulha D'água, PETAR. O objetivo desta viagem foi a verificação de condutos superiores na caverna Buenos I e também a limpeza da trilha entre a casa de pesquisa e a caverna Ribeirãozinho III.

Munidos de uma furadeira para ajudar aos trabalhos de fixação de cordas, a atividade do Sábado rendeu algumas escaladas em condutos superiores sem grandes desenvolvimentos e a descida de dois abismos, que também se fecharam após alguns metros. A facilidade e a rapidez do trabalho com a furadeira elétrica abre novas possibilidades as explorações verticais. Tanto em escalada artificial para acessar áreas antes de muito difícil acesso quanto para a descida em pouco tempo de lances verticais que antes dariam muito mais trabalho.

O conduto verificado foi mapeado na ocasião de sua descoberta e ficou conhecido por uma passagem suspensa que originou o apelido de nosso amigo - que por sinal foi um dos organizadores da viagem e não compareceu - Vaga-lume.

Além da passagem suspensa, o conduto apresenta outra curiosidade: diversos fósseis de cobras encontram-se pelo caminho. Certamente caídas de alguma entrada superior ou então levadas pela água em algum período de enchente.

No Domingo o dia foi dedicado à limpeza da trilha entre a casa de pesquisa e a Caverna Ribeirãozinho III. Com a exuberante mata da região e a ausência de espeleólogos, em pouco tempo a trilha já encontrava-se em processo de fechamento pela mata, o que reforça a necessidade de manutenção em caminhos e estradas da região para que as grutas ainda não estudadas completamente não se percam novamente.


Uma próxima viagem está programada para ainda este ano onde uma equipe deverá investir em uma escalada artificial no final da caverna Ribeirãozinho III. O objetivo é sistematicamente buscar conexões com o abismo através de seu sumidouro e ressurgência antes de novas investidas pela entrada vertical.

(Fotos Daniel Menin e Luciana Fakhouri)



















Nenhum comentário: