“E impelido pela minha ávida vontade, imaginando poder contemplar a grande abundância de formas várias e estranhas criadas pela artificiosa natureza, enredado pelos sombrios rochedos cheguei à entrada de uma grande caverna, diante da qual permaneci tão estupefato quanto ignorante dessas coisas. Com as costas curvadas em arco, a mão cansada e firme sobre o joelho, procurei, com a mão direita, fazer sombra aos olhos comprimidos, curvando-me cá e lá, para ver se conseguia discernir alguma coisa lá dentro, o que me era impedido pela grande escuridão ali reinante. Assim permanecendo, subitamente brotaram em mim duas coisas: medo e desejo; medo da ameaçadora e escura caverna, desejo de poder contemplar lá dentro algo que fosse miraculoso"

Leonardo Da Vinci

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Expedição Janeiro 2010

Seguem abaixo algumas imagens da expedição espeleológica de Janeiro 2010.
Novamente o palco foi a Bahia, rico estado brasileiro no quesito espeleologia.

Nesta ocasião, diversas áreas cársticas foram trabalhadas possibilitando excelentes resultados envolvendo não somente a continuidade de projetos anteriores, mas também a abertura de novas frentes.

Agradecimentos especiais ao Jussy e Michele, excelentes espeleólogos que tanto foram pacientes com algumas fotos e ao Malone pelo companheirismo e hospitalidade.

As imagens falam por si só.

Abs!
Daniel Menin




















































































8 comentários:

NALGA disse...

Bom dia
Excelente trabalho, esse Brasil continua a ser um mundo por explorar.
Por curiosidade, nessa gruta(caverna), qual a sua temperatura interior?
Cumprimentos dos colegas de Portugal.
P.M.Robalo

Rui Francisco "Loia" disse...

Fantásticas fotos e que excelente local, parabéns.

Bons trabalhos e saudações Tugas.

Terra Sub disse...

Olá Robalo,

As fotos são de grutas localizadas em regiões diferentes e por isso com temperaturas diversas. As primeiras estavam em uma área mais quente e a temperatura interna era de cerca de 30graus centígrados. As últimas eram um pouco mais frescas (aproximadamente 25graus). Em algumas áreas do Brasil as cavernas podem ser muito quentes o que atrapalha bastante nosso trabalho, mas esse nao foi o caso nestas ocasiões.

Um abs,
Daniel Menin

Rui Francisco "Loia" disse...

30 graus!!! impresionante!!

E eu que achava a temperatura de algumas das nossas grutas elevadas...

Bom existe uma coisa em comum em cavernas com temperaturas elevadas, são quase invariavelmente belas em espeleotemas.

Aqui em Portugal, que eu conheça, temos a Gruta do Frade que possui em temperatura na ordem do 20 graus e deve ser uma das mais quentes do País. A sua beleza é incrivel. Dá uma vista de olhos numa postagem que fiz a alguns dias em:http://sesimbrasubterranea.blogspot.com/2009/12/gruta-do-frade.html

Mais uma vez parabéns pelo bom trabalho que nos apresentas.

Daniel De Stefano Menin disse...

Vi a postagem sobre a Gruta do Frade... excelente! 4 anos de trabalho! Parabéns!!!
Entendo perfeitamente as dificuldades e ao mesmo tempo o quão gratificante é este tipo de realização.

Grande abraço!
Daniel

nalga disse...

30 graus Celsius???
Bem como disse o amigo "Loia", eu também acho que as grutas da Arrábida são quentes (20ºC), mas com 30º graus deve ser muito complicado, principalmente com teores de humidade perto dos 100%.
Grande abraço
P.M.Robalo

Daniel De Stefano Menin disse...

Pois é meus caros amigos de Portugal.
Em alguns estados aqui do Brasil a maior dificuldade nas cavernas é mesmo o calor.

Vejam as postagens sobre a Caverna do Trapiá, no estado do Rio Grande do Norte*. Trata-se de uma caverna relativamente extensa para os padrões locais. Uma caverna de pouco desnível e que se desenvolve o tempo todo próximo à superfície: um lajedo com pouca vegetação e sobre um sol forte de mais de 40 graus.

Talvez lá tenha sido o trabalho mais difícil neste tipo de gruta. Acho que algumas fotos ilustram bem a situação em que nos encontrávamos.

*Postagem: Enfim, a conclusão da topografia na Caverna do Trapiá, RN).

Grde abraço!
Daniel

NALGA disse...

Dureza...
A espeleo não é para todos, é preciso realmente gostar muito para se poder suportar todos estes cenários extremamente adversos.
Abraço e boas explorações.
Pedro